quinta-feira, 27 de julho de 2017

quarta-feira, 26 de julho de 2017

Divaldo Franco volta a brindar Évora


Foi com imensa alegria que recebemos uma vez mais, na noite de ontem, este Querido Amigo. Contámos com casa cheia e com os seus incomparaveis esclarecimentos.

Divaldo Franco, um verdadeiro apóstolo do Espiritismo. dos seus incríveis 90 anos 70 foram dedicados à causa Espírita e à prática do Bem.
É reconhecido como um dos maiores médiuns e oradores espíritas da atualidade e o maior divulgador da Doutrina Espirita em todo o mundo.

Como Orador fez mais de 13000 conferências em mais de 2000 cidades em todo o Brasil e em 65 países dos 5 continentes. Mais de 1500 entrevistas de rádio e televisão.

Como Médium publicou mais de 260 livros, onde se apresentaram 211 autores espirituais, com mais de 8 milhões de exemplares e tradução para 17 idiomas. a renda proveniente destas obras e direitos de autor foram doados em cartório por Divaldo à Mansão do Caminho e outras entidades filantrópicas.

Como Educador é o Educador mais devotado com mais de 600 filhos adotivos e 200 netos e bisnetos, atendendo atualmente a mais de 3000 crianças, adolescentes e jovens de famílias carenciadas, Tarefa que teve inicio em 1952 quando em conjunto com Nilson de Sousa Pereira fundaram a Mansão do Caminho, em Salvador da Bahia. Esta obra tornou-se gigante em tamanho, trabalho desenvolvido e exemplo.
Mas Divaldo não se tornou um Educador por excelência apenas de todas aquelas crianças e jovens. É um Educador para toda a sociedade, para todos aqueles que têm ouvidos para ouvir, olhos para observar e coração para desenvolver.

A Divaldo a nossa mais sincera gratidão pois a sua presença entre nós, (Associação Espírita de Évora) desde 2009, tem sido de extrema importância para o nosso fortalecimento e encorajamento no trabalho na Casa espírita.

E à FEP, o nosso bem haja, por proporcionar a todos os que estiveram presentes e aos que acompanharam a transmissão da Palestra de Divaldo pela Internet, momentos de Conhecimento e Esperança.

Logo que possível será partilhado no Facebook da AEE, o video da palestra de Divaldo em Évora. 

domingo, 23 de julho de 2017

90 anos Divaldo Franco - Évora, 25 de julho

É com imensa Alegria que na próxima terça-feira dia 25 de julho receberemos uma vez mais, este querido amigo tão especial, que tanto tem feito pela Divulgação da Doutrina Espírita e cuja presença e palavra tão importantes têm sido para o trabalho da Associação Espírita de Évora.

Divaldo fará uma Paletra em Évora, no Hotel D. Fernando, pelas 21h, pelo que nesse dia não nos encontraremos na Associação, mas fraternalmente reunidos neste espaço.

Esperamos por todos, a Entrada é Livre...


quinta-feira, 20 de julho de 2017

Divaldo Franco em Évora - 25 julho


Como sempre...CONTAMOS CONSIGO!!!

Para quem vem de tão longe, qualquer distância em Portugal é "logo ali..."

terça-feira, 18 de julho de 2017

Conflitos Familiares (18 de julho)

Talvez este seja um dos temas mais tocantes, pois em cada família, em cada Lar existem conflitos, conflitos que começam no coração de cada um, conflitos de relacionamento entre aqueles que pertencem ao mesmo núcleo familiar.

Vulgarmente ouvimos dizer família ninguém escolhe, porém estudando as Leis da Vida compreendemos que essa afirmação não é correta, porém, não vimos na família dos nossos sonhos mas na família que nos é necessária para a nossa evolução.

Compreender os laços que nos unem, os diferentes níveis de consciência em que se encontra cada um de nós, a Lei de Causa-Efeito e o porquê da reencarnação, ajuda-nos a aceitar a nossa realidade e a aproveitar melhor o convívio no Lar que é a verdadeira escola da nossa Alma.

Aqui ficam alguns excertos para refletir... 

"A família é a base fundamental sobre a qual se ergue o imenso edifício da sociedade. No pequeno grupo doméstico inicia-se a experiência da fraternidade universal, ensaiando-se os passos para os nobres cometimentos em favor da construção da sociedade equilibrada. Em razão disso, toda vez que a família se entibia ou se enfraquece a sociedade experimenta conflitos, abalada nas suas estruturas".  Livro " Constelação Familiar", de Joanna de Ângelis Psicografia de Divaldo Pereira Franco

"Nesse báratro, a família torna-se um campo de lutas ásperas entre os princípios de equilíbrio que a devem constituir e as facilidades que proporcionam correspondência em relação aos desvarios propostos por pensadores de ocasião e pelas aberrações divulgadasatravés da mídia extravagante.A denominada luta de gerações, na qual  os reais valores da dignificação humana são ultrajados pelas proposições modernistas do hoje, do aqui e do agora, favorece a debandada do lar pelos jovens, incapazes ainda de orientar a existência, de enfrentar os desafios, de viver em equilíbrio.lnexperientes e deseducados, animados mais à astúcia do que à inteligência e à razão,tornam-se vítimas fáceis das armadilhas que encontram pela frente, sem as perceber...Faltando o lar seguro, buscam organizar tribos e reagem a tudo que os vincule à estrutura familiar, dando lugar a novos hábitos e a costumes próprios, matando as imagens ancestrais e construindo a própria identidade, agressiva e arrogante, estranha e especial, em nome da liberdade de pensamento e de ação, que o tempo demonstra frágil e sem sustentação a longo prazo. Os pioneiros e militantes dos movimentos rebeldes dos anos sessenta,
hoje envelhecidos,arrependidos uns, enfermos outros, dependentes da drogadição ainda outros tantos, sem nosreferirmos aos que foram devorados pelos vícios, pelas enfermidades, que transformaram o sonho em sofrimento, revêem os programas fantasiosos e alucinantes daquela época tomados pela amargura e pelo cansaço...lncontáveis deles, incapazes de construir família, mudaram de parceiros conforme os ventos da sensação e da moda, produziram frutos amargos, na condição de filhos mais rebeldes e mais insatisfeitos do que eles próprios, com as exceções compreensíveis, terminando a caminhada terrestre hoje desacompanhados, pessimistas e tristes. A família, no entanto, vem sobrevivendo estoicamente aos golpes que lhe têm sido desferidos, os códigos de ética, lentamente vêm sendo revividos, aumentando o número de matrimônios, enquanto diminui  o de divórcios, em respeito à monogamia, a mais elevada expressão do afeto, no processo da evolução antropossociopsicológica, à fidelidade e ao respeito pelo outro...


O ser humano é estruturalmente constituído para viver em família, a fim de desenvolver  os sublimes conteúdos psíquicos que lhe jazem adormecidos, aguardando os estímulos da convivência no lar, para liberá-Ios e sublimar-se. Quando procria com responsabilidade atinge um dos momentos clímax da existência,especialmente quando se torna consciente do significado da progenitura. Em forma de instinto que confere aos animais o cuidado com a prole e o seu amparo, no ser humano essa energia atinge a faixa de sentimento superior, que induz ao zelo e à proteção,chegando mesmo ao sacrifício em favor da sua preservação.   Quando ocorre o contrário, trata-se de uma patologia, um transtorno de natureza psicológica ou psiquiátrica. Há, em todas as formas de vida, essa energia divina que, no ser humano, apresenta-se em forma de consciência, de discernimento, de razão, de amor, de sabedoria." Livro " Constelação Familiar", de Joanna de Ângelis Psicografia de Divaldo Pereira Franco



"Encaramos as coisas, na terra, apenas do ponto de vista terreno. O Espiritismo no-las apresenta de mais alto, mostrando-nos que os verdadeiros laços de afeição são os do Espírito e não os do corpo; que esses laços não se rompem, nem pela separação, nem mesmo pela morte do corpo; e que eles se fortificam na vida espiritual, pela depuração do Espírito: consoladora verdade,que nos dá uma grande força para suportar as vicissitudes da vida.".         E. S. E. Cap. XXIII, item 6

"A lei do amor substitui a personalidade pela fusão dos seres e extingue as misérias sociais. Feliz aquele que, sobrelevando-se à humanidade, ama com imenso amor os seus irmãos em sofrimento! Feliz aquele que ama, porque não conhece as angústias da alma, nem as do corpo! Seus pés são leves, e ele vive como transportado fora de si mesmo. Quando Jesus pronunciou essa palavra divina, — amor — fez estremecerem os povos, e os mártires, ébrios de esperança, desceram ao circo."E. S. E. Cap. XI, item 6

“O Espiritismo, vê na família uma nobre experiência, um verdadeiro laboratório no qual são burilados os nossos sentimentos, representando um grande ensaio para que possamos viver na família universal.”
Vivências do Amor em Família, Divaldo Franco

terça-feira, 11 de julho de 2017

O Poder do Pensamento (11 de julho)



O desenvolvimento deste tema, na Associação Espírita de Évora, hoje terá por base reflexões de Suely Caldas Schubert, mas aqui ficam alguns outros excertos de interesse retirados da bibliografia Espírita acerca do Poder do Pensamento.

"Que de mais livre, de mais independente, de menos perceptível por sua própria essência, do que o pensamento?(...).  Tanto valeria dizer que o prisioneiro, que só pode dar alguns passos em sua cela, é mais livre que o que corre os campos. Se não sois livre para crer nas coisas do mundo espiritual, que é infinito, o sois cem vezes menos, vós que vos circunscreveis no estreito limite do tangível,que dizeis ao pensamento: Não sairás do círculo que te traçamos; e se dele saíres, declaramos que não és mais pensamento são, mas a loucura, a tolice, o contra-senso, porque só a nós cabe discernir o falso do verdadeiro.(...). Dizeis ainda que quereis arrancar o mundo ao jugo das crenças dogmáticas. Fazeis, ao menos, uma distinção entre suas crenças?   Não, porque confundis na mesma reprovação tudo quanto não é do domínio exclusivo da Ciência, tudo quanto não se vê pelos olhos do corpo, numa palavra, tudo que é de essência espiritual, por conseguinte Deus, a alma e a vida futura. Mas se
toda crença espiritual é um entrave à liberdade de pensar, dá-se o mesmo com toda crença material; aquele que crê que uma coisa é vermelha, porque a vê vermelha, não é livre de a julgar verde. Desde que o pensamento é detido por uma convicção qualquer, já não é livre. Para ser conseqüente com a vossa teoria, a liberdade absoluta consistiria em nada crer, nem mesmo em sua própria existência, porque isto seria ainda uma restrição. Mas, então, em que se tornaria o pensamento?(...)Ele deve ser entendido num sentido mais largo e mais verdadeiro, isto é, do livre uso que se faz da faculdade de pensar, e não de sua aplicação a uma ordem qualquer de idéias.(...) Em sua acepção mais vasta, o
livre-pensamento significa: livre-exame, liberdade de consciência, fé raciocinada; simboliza a emancipação intelectual, a independência moral, complemento da independência física; não quer mais escravos do pensamento, pois o que caracteriza o livre-pensador é que este pensa por si mesmo, e não pelos outros; em outros termos, sua opinião lhe é própria. Assim, pode haver livres-pensadores em todas as opiniões e em todas as crenças. Neste sentido, o livre-pensamento eleva a dignidade do homem, dele fazendo um ser ativo, inteligente, em vez de uma máquina de crer.(...)Com efeito, o Espiritismo estabelece como princípio que antes de crer é preciso compreender. Ora, para compreender é necessário que se faça uso do raciocínio; eis por que ele procura dar-se conta de tudo antes de admitir alguma coisa, a saber, o porquê e o como de cada coisa."
 

Revista Espírita de fevereiro
de 1867, artigo "Livre-Pensamento e Livre-Consciência"

 “...Imaginemos agora o pensamento, força viva e atuante, cuja velocidade supera a da luz. Emitido por nós, volta inevitavelmente a nós mesmos, compelindo-nos a viver, de maneira espontânea, em sua onda de formas criadoras, que naturalmente se nos fixam no espírito quando alimentadas pelo combustível de nosso desejo ou de nossa atenção. Daí, a necessidade imperiosa de nos situarmos nos ideais mais nobres e nos propósitos mais puros da vida, porque energias atraem energias da mesma natureza...” 
                                             Livro “Ação e Reação”, de Francisco C. Xavier, pelo Espírito André Luiz

“O pensamento do Espírito encarnado age sobre os fluidos espirituais como também o dos Espíritos desencarnados; transmite-se de Espírito a Espírito, pela mesma via, e, conforme seja bom ou mau, aneia ou vicia os fluidoscircundantes.(...)  é  a  grande oficina  ou  o  laboratório  da  vida espiritual.  O  pensamento e  a  vontade são  para  os  Espíritos  aquilo  que  a mão  é  para  o  homem." 
 Livro " A Gênese" Cap. XIV, item 14

"Sendo  o  fluido veículo  do  pensamento,  este  atua  sobre os  fluidos como  o  som  sobre  o ar;  eles  nos  trazem  o  pensamento, como  o  ar  nos traz o  som (...) Há mais:  criando  imagens  fluídicas,  o pensamento  reflete  no envoltório  perispirítico, como  num  espelho;  Toma  nele  corpo  e aí  de  certo modo  se  fotografa.(...) Desse modo  é  que  os  mais  secretos movimentos  da  alma repercutem  no  envoltório fluídico;  que  uma  alma  pode  ler noutra  alma como  num  livro  e  ver o  que  não  é  perceptível  aos  olhos  do corpo”
 Livro A Gênese, Cap XIV, item 15

"A  ação  dos Espíritos  sobre  os  fluidos  espirituais tem consequências  de  importância  direta  e capital  para  os  encarnados.  Desde o  instante em  que  tais  fluidos  são  o  veículo do  pensamento;  que  o pensamento  lhes pode  modificar  as  propriedades,  é  evidente que  eles devem  estar  impregnados  das qualidades  boas  ou  más,  dos pensamentos que  os  colocam  em  vibração,
modificados  pela  pureza  ou  impureza dos sentimentos."

                                                                                                          Livro  A Gênese , cap. XIV, item16

 "O Espiritismo nos faz compreender a ação da prece, ao explicar a forma de transmissão do pensamento, seja quando o ser a quem oramos atende ao nosso apelo, seja quando o nosso pensamento eleva-se a ele. Para se compreender o que ocorre nesse caso, é necessário imaginar os seres, encarnados e desencarnados, mergulhados no fluido universal que preenche o espaço, assim como na Terra estamos envolvidos pela atmosfera. Esse fluido é impulsionado pela vontade, pois é o veículo do pensamento, como o ar é o veículo do som, com a diferença de que as vibrações do ar são circunscritas, enquanto as do fluido universal se ampliam ao infinito. Quando, pois, o pensamento se
dirige para algum ser, na terra ou no espaço, de encarnado para desencarnado, ou vice-versa, uma corrente fluídica se estabelece de um a outro, transmitindo o pensamento, como o ar transmite o som."

                                                                                                                      E. S. E. Cap.XXVII, item10

"O poder da prece está no pensamento, e não depende nem das palavras, nem do lugar, nem do momento em que é feita.(...)A influência do lugar ou do tempo depende das circunstâncias que possam favorecer o recolhimento. A prece em comum tem ação mais poderosa, quando todos os que a fazem se associam de coração num mesmo pensamento e têm a mesma finalidade, porque então é como se muitos clamassem juntos e em uníssono."
E. S. E. Cap.XXVII, item 15


domingo, 2 de julho de 2017

As Bênçãos do Altruísmo (4 de julho)

"Toda a moral de Jesus se resume na caridade e na humildade, ou seja, nas duas virtudes contrárias ao egoísmo e ao orgulho. Em todos os seus ensinamentos, mostra essas virtudes como sendo o caminho da felicidade eterna. Bem-aventurados, diz ele, os pobres de espírito, quer dizer: os humildes, porque deles é o Reino dos Céus; bem-aventurados os que tem coração puro; bem-aventurados os mansos e pacíficos; bem-aventurados os misericordiosos. Amai o vosso próximo como a vós mesmos; fazei aos outros os que desejaríeis que vos fizessem; amai os vossos inimigos; perdoai as ofensas, se quereis ser perdoados; fazei o bem sem ostentação: julgai-vos a vós mesmos antes de julgar os outros. Humildade e caridade, eis o que não cessa de recomendar, e  de que ele mesmo dá o exemplo. Orgulho e egoísmo, eis o que não cessa de combater. Mas ele fez mais do que recomendar a caridade, pondo-a claramente, em termos explícitos, como a condição absoluta da felicidade futura."
 E. S. E. Cap. XV, item 3

"As Bençãos do Altruísmo, nos esclarece que a palavra foi cunhada pelo filósofo francês Augusto Comte para significar comportamento oposto ao egoísmo. O altruísmo é recurso de alta importância a ser utilizado a fim de despertar as emoções do amor e do perdão, da misericórdia e da caridade. Ainda nos esclarece que devemos reflexionar em torno do comportamento altruísta, a fim de que não se mascare o altruísmo com exibicionismo ou a presunção, que caracterizam muitos indivíduos que ainda não estão habilitados para essa prática digna de honra. O altruísmo sabe enxergar as necessidades alheias com grande acuidade, atendendo-as com mãos habilidosas e voz suave que não constrange nem humilha o beneficiado. Não aguarda reconhecimento, não espera aplauso ou louvação. Os gestos de altruísmo podem ser cultivados e desenvolvidos, partindo-se das pequenas experiências da tolerância, da bondade, da renúncia a algumas necessidades para beneficiar outrem, que passa a receber fraternal compreensão e ajuda."
Cap. 25 do livro "Atitudes Renovadas", Divaldo Pereira Franco pelo esp. Joanna de Ângelis

"Os efeitos da lei do amor são o aperfeiçoamento moral da raça humana e a felicidade durante a vida terrena. Os mais rebeldes e os mais viciosos deverão reformar-se, quando presenciarem os benefícios produzidos pela prática deste princípio: “Não façais aos outros os que não quereis que os outros vos façam, mas fazei, pelo contrário, todo o bem que puderdes”.
E. S. E. Cap. XI, item 9


"Caridade e humildade, esta é a única via de salvação; egoísmo e orgulho, esta é a via da perdição. Esse princípio é formulado em termos precisos nestas palavras: “Amarás a Deus de toda a tua alma, e ao teu próximo como a ti mesmo; estes dois pensamentos contêm toda a lei e os profetas”. E para que não houvesse equívoco na interpretação do amor de Deus e do próximo, temos ainda: “E o segundo, semelhante a este, é: Amarás a teu próximo como a ti mesmo”, significando que não se pode verdadeiramente amar a Deus sem amar ao próximo, nem amar ao próximo sem amar a Deus, porque tudo quanto se faz contra o próximo, é contra Deus que se faz. Não se podendo amar a Deus sem praticar a caridade para com o próximo, todos os deveres do homem se encontram resumidos nesta máxima: Fora da caridade não há salvação."
E. S. E. Cap. XV, item 5

Nestes esclarecimentos do Evangelho encontramos o motivo pelo qual o Altruísmo é uma Benção. É na prática do amor ao próximo, o Amor ensinado por Jesus que chegamos a Deus e nos encontramos. Encontramos o melhor de nós.

Senhor,
Fazei de mim um instrumento
da Vossa paz;
onde houver ódio, que eu leve o Amor;
onde houver ofensa, que eu leve o Perdão;
onde houver discórdia, que eu leve a União;
onde houver dúvida, que eu leve a Fé;
onde houver erro, que eu leve a Verdade;
onde houver desespero, que eu leve a Esperança;
onde houver tristeza, que eu leve a Alegria;
onde houver trevas, que eu leve a Luz.

Senhor,
Fazei que eu procure mais:
Consolar que ser consolado,
Compreender que ser compreendido,
Amar do que ser amado.
Pois é dando que se recebe,
É perdoando que se é perdoado,
E é morrendo que se ressuscita
Para a Vida Eterna.

São Francisco de Assis