domingo, 7 de janeiro de 2018

Cristianismo e Espiritismo (9 de janeiro)



         "HÁ UM ABISMO entre o  Cristo e o  Cristianismo, tão  grande quanto  o  abismo existente entre Jesus de Nazaré, filho de  José e Maria,  nascido em Nazaré,  na  Galiléia, e Jesus  Cristo, nascido  da  Constelação da Virgem,  na Cidade do  Rei  Davi em  Belém  da Judéia, segundo  o  mito hebraico  do  Messias. Por isso  a Civilização  Cristã, nascida  em sangue e em sangue alimentada,  não  possui o Espírito  de Jesus,  mas o  corpo mitológico  do Cristo, morto  e exangue. Por isso o Padre  Alta  estabeleceu, em Paris,  a diferença entre  o Cristianismo  do Cristo  e  o dos  seus vigários. Não podemos  condenar o processo  histórico,  que brotou, rude e impulsivo, das condições humanas de  civilizações agrárias  e pastoris, mas  não  é justo que o  conservemos em nosso  tempo de abertura para novas dimensões  da realidade humana  e da  realidade cósmica. O Mahatma  Gandi exclamou, ao ler  os Evangelhos:  "Como pôde  uma árvore como esta  dar  os frutos que conhecemos?" Kalil Gibran Kalil viu Jesus  de Nazaré encontrar-se com o Jesus dos Cristãos  uma colina  do Líbano, onde conversaram, e  Jesus de Nazaré retirar-se  murmurando:  "Não podemos nos entender.  Melanchton  assustou-se com  a depuração  da  Reforma e perguntou  a  Lutero: "Se  tiras tudo  dos Cristãos, o  que lhes pretendes dar?"  Lutero  respondeu: "Cristo." As atuais Teologias da Morte  de  Deus, nascidas  da loucura  de Nietsche,  provam a razão  de  Lutero. A Nova  Teologia  do Padre  Teilhard  de Chardian oferece-nos  os rumos da renovação. E o Papa João XXIII, um  camponez  que voltou ao campo, tentou  limpar a seara.  E tempo  de compreendermos  que Jesus  de Nazaré  não  voltou das  nuvens  de Betânia, mas em espírito  e verdade, para conduzir-nos  a  toda a  Verdade  Prometida." 
                                                                            Livro  Revisão do Cristianismo, de J. Herculano Pires
    
 "Jesus promete outro consolador: é o Espírito da Verdade, que o mundo ainda não conhece, pois quenão está suficientemente maduro para compreendê-lo, e que o Pai enviará para ensinar todas as coisas e para fazer lembrar o que Cristo disse. (...)
    
 "O Espiritismo vem, no tempo assinalado, cumprir a promessa do Cristo: o Espírito da Verdade preside ao seu estabelecimento. Ele chama os homens à observância da lei; ensina todas as coisas, fazendo compreender o que o Cristo só disse em parábolas. O Cristo disse: “que ouçam os que têm ouvidos para ouvir”. O Espiritismo vem abrir os olhos e os ouvidos, porque ele fala sem figuras e alegorias. Levanta o véu propositalmente lançado sobre certos mistérios, e vem, por fim, trazer uma
suprema consolação aos deserdados da Terra e a todos os que sofrem, ao dar uma causa justa e um objetivo útil a todas as dores.(...)
          
Assim realiza o Espiritismo o que Jesus disse do consolador prometido:conhecimento das coisas, que faz o homem saber de onde vem, para onde vai e porque está na Terra, lembrança dos verdadeiros princípios da lei de Deus, e consolação pela fé e pela esperança."                         
                                                                                                                                 ESE. Cap. VI, item 4

  "O Cristo não pediu muita coisa, não exigiu que as pessoas escalassem o Everest ou fizessem grandes sacrifícios. Ele só pediu que nos amássemos uns aos outros."
                                                                                                                                             Chico Xavier

segunda-feira, 1 de janeiro de 2018

Pensar é Criar (2 de janeiro)

2018, 365 novas oportunidades, A vida é uma benção e o pensamento é criador. O que vamos criar para este novo ano?
Precisamos mudar muita coisa em nós, mas o principal é o nosso pensamento, que não conhece limites ou fronteiras, mas que deve tomar o rumo do bem, para nossa evolução e daqueles que nos rodeiam.

“Ninguém vive só.
Temos connosco milhares de expressões do pensamento dos outros e milhares de outras pessoas nos guardam a atuação mental, inevitavelmente.

Os raios de nossa influência entrosam-se com as emissões de quantos nos conhecem direta ou indiretamente, e pesam na balança do mundo para o bem e para o mal. (…)
Nossas atitudes e atos criam atitudes e atos do mesmo teor, em quantos nos rodeiam, porquanto aquilo que fazemos atinge o domínio da observação alheia, interferindo no centro de elaboração das forças mentais de nossos semelhantes. (…)
Pensamento é fermentação espiritual. Em primeiro lugar gera atitudes, em segundo gera hábitos e, depois, governa expressões e palavras, através das quais a individualidade influência na vida e no mundo.”

“Seara do Bem”(Fermento Espiritual), Divaldo Franco pelo esp. Emmanuel

terça-feira, 26 de dezembro de 2017

Fim de Ano, Momento de Reflexão (26 de dezembro)

Mais um Ano. 
Aproximamo-nos da reta final de um ano cheio de acontecimentos. 
Dias calmos, dias turbulentos, momentos de celebração e momentos de angustia, lágrimas de todo o género.
Tivemos encontros e reencontros, surpresas boas e más.
Fizemos amigos, aproximamo-nos de uns afastamo-nos de outros.
Trabalhamos, trabalhamos, corremos e nem sempre priorizamos o mais importante.
Tivemos momentos de família e nem todos foram felizes, mas é tão bom ter família.
Alegramo-nos pelas vitórias enquanto povo português e choramos, choramos os companheiros a quem o fogo marcou o ultimo suspiro, choramos a Natureza, choramos por nós.
Mas vivemos, gastámos tempo do plafond divino, mas não o perdemos sempre que o conseguimos converter em experiência, aprendizagem, crescimento.
Este ano termina, sim, mas todos nós continuamos, na Terra ou fora dela. Continuamos a jornada da vida a caminhada que nos fará melhores.
Venha o Novo Ano, celebremos a Vida, mas acima de tudo, sejamos gratos.

Que Deus Abençoe a todos neste Novo Ano com as provas e o auxilio necessários a cada um de nós. 
E como não sabemos até quando estaremos no corpo físico, vivamos cada dia de forma consciente e alegre, de modo que, se a nossa vida for longa possamos fazer uma sabia sementeira, mas se for breve estejamos preparados para seguir com mais tranquilidade para a Pátria Espiritual.

Um Excelente 2018 são os votos da Associação Espírita de Évora

segunda-feira, 18 de dezembro de 2017

NATAL (19 de dezembro)

Natal, data tão singular, que nos envolve numa atmosfera especial de alegria, sensibilidade e desejos fraternos.
Existe em todos uma preocupação que antecede a Noite de Natal...a de decorar as casas, comprar os presentes... e que à mesa, na noite de Natal não falte o bacalhau, o peru, o polvo, as rabanadas e os sonhos. Natal consumista e de tradições profundamente materiais, que satisfazem o corpo, mas se esquecem da alma. Corremos, compramos, gastamos, criamos dividas e preocupações que virão depois, passados dias...
Porém, não foi nada disso que Aquele cujo nascimento assinalamos veio trazer ao Mundo, à maior mensagem de amor não respondamos com consumo e preocupações exteriores. permitamos que seja Natal nos nossos corações e que a maior decoração, o maior presente seja o nosso amor, na forma de sorrisos de palavras doces e gestos nobres. 
Que os maiores cânticos sejam os do bater dos nossos corações junto daqueles que amamos...e que se encontram nos dois planos da vida, pois o verdadeiro amor, o amor de Jesus não conhece barreiras, simplesmente se sente e dá vida.

Neste Natal, vamos amar, vamos permitir que a nobreza de Jesus entre em nós e nos conduza, pois é um privilégio poder seguir Aquele que é para nós o maior exemplo de Bondade, Justiça Amor e Caridade.

Que a nossa proposta para este Natal seja Amar. 
Amarmo-nos, amar o  próximo, amar a Vida.

Obrigado Jesus!!!




terça-feira, 12 de dezembro de 2017

Vida com Amor (12 de dezembro)



 "O amor resume toda a doutrina de Jesus, porque é o sentimento por excelência, e os sentimentos são os instintos elevados à altura do progresso realizado. (...)Quando Jesus pronunciou essa palavra divina, — amor — fez estremecerem os povos, e os mártires, ébrios de esperança, desceram ao circo."
E. S.E. Cap. XI, item 8

AMOR À VIDA
"O mais precioso dom que existe é a existência humana. Embora a gravidade da hora com as suas terríveis malhas de violência, agressividade e tormentos de vária ordem, vale viver-se, tendo por meta a plenitude. Não poucas pessoas pensam exclusivamente em si próprias, dominadas por asfixiante egotismo, na enganosa construção psicológica de que assim serão felizes, isto por haverem perdido o rumo do equilíbrio, da sabedoria, da razão. Quando se acreditam triunfantes, porém, descobrem-se mergulhadas no vazio existencial e logo mais tombam em graves transtornos psicológicos.
O sentido da vida resume-se na auto-edificação pelo amor, mediante o esforço para viver-se, sob o amparo de pensamentos corretos, de palavras certas e de conduta saudável. Somente assim, as suas serão as lutas que lhe darão significado comportamental e estímulo para avanços legítimos na conquista do Self. As metas materiais, embora o seu sentido edificante, são fáceis de ser alcançadas, o que faculta a necessidade de contínuas programações. Além disso, apresentam enfrentamentos tormentosos, quais sejam: a competitividade nem sempre realizada de forma digna, a submissão ao contexto no qual se vive, ora caracterizado pelo suborno, pela injúria, pela desconfiança, o medo da perda dos valores adquiridos ou das posições conseguidas, a inevitável insatisfação íntima que deflui do anseio de sempre mais possuir e mais brilhar...
A criatura humana é a medida das suas aspirações morais e espirituais que a projetam no rumo da iluminação. Parece uma ingenuidade aspirar-se por iluminação interior, paz no coração, quando pairam sobre quase todas as cabeças as espadas de Dâmocles prestes a decepá-las. São, no entanto, as propostas ingênuas do amor, conforme preconizadas por Jesus Cristo, que proporcionam bem-estar, alegria de viver, trabalho no bem, fraternidade no seu mais amplo sentido. Assim viveu o inesquecível Poeta galileu, amando numa época hostil como a nossa. Podemos tentar?"  
 P. FRANCO, Artigo de Divaldo publicado no jornal A Tarde, coluna Opinião, em 29-01-2015. (Divaldo Franco escreve quinta-feira, quinzenalmente.)

"Amar, no sentido profundo do termo, é ser leal, probo, consciencioso, para fazer aos outros aquilo que se deseja para si mesmo. É buscar em torno de si a razão íntima de todas as dores que acabrunham o próximo, para dar-lhes alívio. É encarar a grande família humana como a sua própria, porque essa família irá reencontrar um dia em mundos mais adiantados, pois os Espíritos que a constituem são, como vós, filhos de Deus, marcados na fronte para se elevarem ao infinito. É por isso que não podeis recusar aos vossos irmãos aquilo que Deus vos deu com liberalidade, pois, de vossa parte, seríeis muito felizes se vossos irmãos vos dessem aquilo de que tendes necessidade. A todos os
sofrimentos, dispensai pois uma palavra de ajuda e de esperança, para vos fazerdes todo amor e todo justiça.(...)Hoje, que o movimento espírita avançou bastante, vede com que rapidez as ideias de justiça e de renovação, contidas nos ditados dos Espíritos, são aceitas pela metade das pessoas inteligentes. É que essas ideias correspondem ao que há de divino em vós. É que estais preparados por uma semeadura fecunda: a do último século, que implantou na sociedade as grandes ideias de progresso. E como tudo se encadeia, sob as ordens do Altíssimo, todas as lições recebidas e assimiladas resultarão nessa mudança universal do amor ao próximo. Graças a ela, os Espíritos encarnados, melhor julgando e melhor sentindo, dar-se-ão as mãos até os confins do vosso planeta. Todos se reunirão, para entender-se e amar-se, destruindo todas as injustiças, todas as causas de desentendimento entre os povos. 
Grande pensamento de renovação pelo Espiritismo tão bem exposto em O Livro dos Espíritos, tu produzirás o grande milagre do século futuro, o da reunião de todos os interesses materiais e espirituais dos homens, pela aplicação desta máxima bem compreendida: Amai muito, para serdes amados!"
E.S.E. Cap. XI, item 10